terça-feira, 18 de setembro de 2007

VISITA DA SANDRA!


O coração está em festa. Isso é raro. Meu coração é sempre melancólico muito antes de ter um grande motivo para a melancolia. A Sandra vai chegar! E com ela Victor, Paulinha, e Wanderley. Comecei os preparativos hoje, fazendo uma boa faxina na casa. Paulinha é alérgica ao pó e ao mofo. E eu gosto de janelas fechadas, sou do signo de escorpião. Escorpião gosta de ambientes na penumbra. Não acredito em signos para previsão de acontecimentos do tipo "hoje vai acontecer algo de muito bom" mas acredito que, de alguma forma, somos influenciados em nosso temperamento, emoções e vontades. Mas hoje não vou falar de signos. Até porque, quem tem o Senhor Jesus tem o signo do céu. Hoje vou falar da expectativa de uma visita que só acontece raramente. Receber filhos, genros e netos, é uma celebração e uma responsabilidade. É uma celebração porque essa visita traz luz a cada cômodo da casa... e bagunça também. Não fica pedra sobre pedra, no final da história. Mas isso é vida. A vida traz em si uma tendência atávica para a desordem. Os físicos dizem que tecnicamente seria possível fazer voltar o tempo, mas por causa desssa tendência à desordem, é que o tempo não volta atrás. Mas hoje também não vou falar de física. Que, aliás, é um assunto que não conheço. Vou continuar meu reciocínio original: a visita da Sandra, minha filha primogênita. Já falei da celebração dessa visita e agora vou falar da responsabilidade. Mãe inspira um estilo. Mãe tem um peso muito forte nas pequenas e nas grandes escolhas da vida dos filhos. Se ela chega, e me encontra triste, abatida, desanimada, descabelada, vai se influenciar. De alguma maneira, um dia, ela vai copiar o modelo, quase instintivamente. Então, preciso fazer as unhas, pintar o cabelo, e melhorar o layout. Começa por aí. O espírito precisa estar vibrante, sem nota de tristeza. Tenho que buscar a alegria aonde ela puder ser encontrada. Depois, tenho que administrar a casa e a vida da casa. E depois, ainda o cardápio que vai à mesa. A comida precisa ser boa e gostosa. Sem gordura trans. Sem aditivos químicos. Sem colesterol. Alimentos naturais, kefir, noni, pão integral, arroz integral. Mesmo que tenha arroz branco e pão branco. Sei que ela vai olhar o que estou colocando no prato para comer, inclusive a quantidade. Depois, ela vai observar com grandes olhos de admiração, os cremes que estou usando no rosto, no cabelo, no corpo. E a lingerie que fica bem em mim e que me traz alguma beleza e muito conforto. O estilo de vida inclui um jeito de ser e de existir. E o clima? O clima precisa estar gostoso. Dentro da casa, o frio não pode entrar. Nem o calor. Tem que ser tudo sob medida. Só não o amor... esse pode ser desmedido. Tenho esse lance de responsabilidade existencial para com as minhas filhas. Sei que sou duplamente observada. Principalmente, pela Sandra, que já alcançou a idade em que um filho dá ao pai e à mãe o devido valor. Ela me suga enquanto me abraça. Suga a boa seiva. Um dia, não muito distante, ela irá receber a Paulinha e o Victor, com seus respectivos filhos, marido e esposa. E irá se lembrar. Em em se lembrando, vai xerocar. Espero que a xerox seja boa e que ela supere o modelo. E que o modelo esteja guardado, com muita saudade, em seu coração.

Um comentário:

debynew777 disse...

Fiquei me imaginando preparando a casa pra receber minhas filhas,genros e netos(ai,ai,ai)...a gente não percebe,não se da conta de como os anos passam rápido...puxa parece que foi ontem que elas estavam indo pra pré-escola....
Sempre tenho a sensação de que não estou desfrutando completamente o tempo com minhas filhas e outras pessoas que amo...